segunda-feira, 9 de julho de 2018

Fenómeno de Segunda: Festim na Alcachofra


05-07-2018

Na nossa horta e jardim cultivamos várias plantas que servem para alimentar vários insetos, especialmente abelhas porque, como todos sabemos, elas são extremamente importantes e necessárias na nossa vida.

Desta forma, é com muito agrado que apreciamos estes “festins” nas nossas flores, neste caso, nas flores de alcachofras!





sexta-feira, 6 de julho de 2018

Leonotis leonuros

06-07-2012

Nome científico: Leonotis leonuros L.
Nomes comuns: Rabo-de-leão, Orelhas-de-leão, Cauda-de-leão
Família: Lamiaceae
Origem: África do Sul
06-06-2012
04-07-2018

A planta Leonotis leonurus é um subarbusto com um ciclo de vida perene. Apresenta um porte ereto, podendo atingir os 2 metros de altura. As suas folhas verdes são compridas, com as margens serrilhadas e levemente perfumadas quando esmagadas. As suas flores, tubulares e cor de laranja, encontram-se em aglomerados dispostos em espiral sobre os caules.

11-11-2017
04-07-2018
Propriedades e utilizações: Há referência que as folhas e flores secas desta planta eram fumadas por algumas tribos africanas devido a propriedades narcóticas.
06-06-2012
Ao que parece era também usada popularmente em infusões como calmante e para aliviar dores de cabeça, tosse, febre e asma. 
Para além disso, os seus galhos eram adicionados a banhos mornos para aliviar doenças de pele e dores musculares.
Hoje em dia é usada como ornamental devido às suas vistosas flores.
É, ainda, uma planta excelente para atrair pássaros, abelhas e borboletas devido ao néctar das suas flores.

04-07-2018
04-07-2018
Cultivo: Deve ser plantada num local com exposição solar direta. Adapta-se à maioria dos solos. Depois de estabelecida é uma planta que tolera períodos de seca. Em locais com temperaturas mais baixas devemos ter alguns cuidados: cobrir a planta ou abrigá-la para evitar que seja danificada pelas geadas. Devemos, ainda, podar alguns ramos para incentivar mais hastes floridas. Multiplica-se por semente, estacas ou divisão da planta.

Curiosidades: O nome do género Leonotis deriva dos termos gregos: leon (leão) e otos (orelha), relacionado com o aspeto das suas flores, pois estas parecem de veludo e assemelham-se às orelhas dum leão; O nome da espécie leonurus significa cor de leão, em referência à cor das suas flores; Existe uma variedade com flores brancas (alba) e outra amarela; A espécie Leonotis nepetifolia é muito semelhante à Leonotis leonurus, mas a primeira floresce numa bola espinhosa.
Nota: 1.ª atualização

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Galhardas

26-05-2018

Nome científico: Gaillardia aristata
Nome comum: Galhardas
Família: Asteraceae
Origem: América do Norte

10-10-2017
04-05-2018
A galharda é uma planta herbácea com um ciclo de vida perene. Apresenta um porte pequeno, atingindo entre 20 e 70 centímetros de altura. Cresce formando um tufo com hastes florais muito ramificadas. As suas folhas são verdes e possuem formas muito variáveis: em forma de lança, em forma de espátula, lobuladas ou dentadas. As suas flores, de cores vivas e variadas, são solitárias e encontrando-se seguras por hastes eretas e resistentes.

Utilizações: A galharda é uma planta ornamental que pode ser usada em canteiros, bordaduras, jardins rochosos, vasos e como flor de corte.
As suas flores são atrativas para abelhas e borboletas.

26-05-2018
23-05-2018
15-06-2018

Cultivo: Deve ser plantada em locais com exposição solar. Cresce bem em quase todo o tipo de solos, mas prefere solos permeáveis, férteis e bem drenados. É uma planta resistente tanto ao frio como ao calor e depois de estabelecida não necessita de regas constantes. Há indicações que no final da floração devemos fazer uma poda de limpeza, cortando os caules em cerca de 15 cm, para estimular o crescimento de rebentos novos a partir da base. Multiplica-se através de estacas, divisão da planta ou através de sementes, estas podem ser semeadas em tabuleiros de germinação ou através de sementeira direta no início da primavera (há recomendações para não cobrir as sementes com terra).

04-05-2018
23-05-2018
13-05-2018

Curiosidades: O género Gaillardia deve o seu nome ao botânico francês Gaillard de Marentonneau que viveu no século XIX; O nome da espécie aristata está relacionado com os cabelos que cobrem os recetáculos de flores; Consta que algumas tribos indígenas usavam as flores de galharda para tratar feridas e resolver febres.

terça-feira, 3 de abril de 2018

Amor perfeito pequeno

17-12-2017

Nome científico: Viola tricolor L.
Nomes comuns: Amor-perfeito-pequeno, amor-perfeito-bravo, amor-perfeito-selvagem, erva-da-trindade, flor-da-trindade, viola, viola-de-três-cores
Família: Violaceae
Origem: Europa e Ásia

17-12-2017
O amor-perfeito-pequeno é uma planta herbácea com um ciclo de vida anual ou bienal. Possui caules verdes ramificados e flexíveis, onde se inserem, opostamente, as folhas pecioladas e de margens dentadas. As flores são pequenas, compostas por cinco pétalas e cinco sépalas, todas da mesma cor ou todas de cores diferentes, com a particularidade de evidenciar riscas perfeitamente desenhadas. Estas são suportadas por um longo pedúnculo mais fino que o do Viola x wittrockiana que se insere na planta ao nível das axilas foliares.

16-04-2016
07-10-2016
Cultivo: Prefere climas amenos e locais de semi-sombra ou ensolarados desde que não tenha sol direto. Aprecia solos ricos em matéria orgânica, soltos e bem drenados. Não tolera bem as geadas muito continuadas ou a neve, contudo os amores-perfeitos-pequenos são mais rústicos e resistentes às adversidades climáticas, visto serem plantas mais selvagens.

28-04-2016
16-05-2016
Propriedades e utilizações: O amor-perfeito-pequeno foi muito apreciado na Idade Média como planta medicinal, sendo utilizada como laxativo e depurativo. No entanto, são-lhe atribuídas outras propriedades, tais como: anti-inflamatória, expetorante, estimulante, sudorífica, diurética e emoliente. Geralmente, é indicada para ferimentos, úlceras, eczemas, infeções na pele, afeções do sangue, debilidade nervosa, doenças cardíacas e icterícia.
O naturalista irlandês, John K'Eogh, fez referência no seu Herbário Irlandês (1735) às flores do amor-perfeito-bravo dizendo que curam convulsões infantis, limpam os pulmões e o peito e são muito boas para febres, inflamações e feridas internas.
As flores são comestíveis e podem ornamentar cubos de gelo, saladas ou doces.
Popularmente, dizem que os pombos-correio voam mais depressa se lhes dermos uma infusão fria desta planta.
11-05-2016
11-05-2016
11-05-2016
Curiosidades: O amor-perfeito deve o seu nome à sua utilização na preparação de elixires do amor, sendo muito referido na literatura e poesia românticas; Já o nome comum erva-da-trindade faz alusão às suas três pétalas que simbolizam a Santíssima Trindade; Muito próximo desta planta temos o amor-perfeito cultivado, conhecido por amor-perfeito-dos-jardins, Viola tricolor x hortensis e Viola x wittrockiana. Temos, ainda, a violeta ou Violeta-de-cheiro, Viola odorata L., que possui menor quantidade de derivados salicílicos pelo que não deve ser utilizada em sua substituição.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Felicia

12-12-2017

Nome científico: Felicia amelloides
Sinonímia: Cineraria amelloides
Nomes comuns: Felícia, Margarida-azul
Família: Asteraceae (ou Compositae)
Origem: África do Sul

31-03-2017
A felícia é um subarbusto de textura semi-herbácea com um ciclo de vida perene. É uma planta arredondada e bastante ramificada. Possui pequenas folhas verdes de forma oval e, hoje em dia, também temos plantas com folhas variegadas. A sua floração é abundante e as suas inflorescências encontram-se dispostas em capítulos solitários, terminais, longo-pedunculados, de flores azuis com o centro amarelo.

Utilizações: Pode ser usada em floreiras, vasos ou canteiros.
É, ainda, usada para compor maciços em jardins, mas também em isolado.
As suas flores atraem abelhas, borboletas e vespas.
Como consegue viver em áreas arenosas, pode ajudar a estabilizar dunas de areia (desde que não seja usada como pioneira).

09-04-2015
02-12-2015
12-12-2013

Cultivo: Gosta de locais expostos ao sol direto ou bastante ensolarados, para que as suas flores abram totalmente. 
04-11-2013
12-12-2013
Aprecia solos férteis e bem drenados. No seu habitat natural encontra-se em dunas costeiras, planícies rochosas, pedregosas e arenosas. A rega deve ser moderada. Tolera podas leves de limpeza após a floração, removendo flores e folhas secas. Multiplica-se por sementes ou facilmente por estacas no outono e na primavera.


Curiosidades: Esta planta foi nomeada primeiro por Linnaeus, em 1763, como Cineraria amelloides; Não se sabe a origem exata do nome da espécie, uns autores referem que está relacionada com a semelhança à espécie Aster amellus.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...