segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Fenómeno de Segunda: O nosso Guaxinim


foto daqui
20-08-2018
Nós temos um Guaxinim… 

A nossa “espécie” tem uma máscara facial negra como os verdadeiros guaxinins (Procyon lotor), é muito territorial e independente. É ágil, bom trepador e também gosta de fazer os seus passeios noturnos...

19-08-2018


quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Marianinha

13-05-2018

Nome científico: Streptosolen jamesonii
Sinonímia: Browallia jamesonii
Nome comum: Marianinha
Família: Solanaceae
Origem: América do Sul (Colômbia, Equador e Peru)

15-06-2018
05-07-2018
A marianinha é um arbusto semilenhoso com um ciclo de vida perene. Pode chegar até aos 2 m de altura. Possui um tronco ramificado, com ramos longos e flexíveis. As suas folhas são ovaladas a elípticas, verde-escuras e sulcadas pelas nervuras na face superior. As suas inflorescências encontram-se em cachos terminais densos com flores tubulares de cor inicialmente amarela tornando-se gradualmente alaranjada.

30-04-2015
04-05-2018
Utilizações: Nos jardins pode ser usada como planta isolada, na formação de maciços ou em vaso.
Este arbusto pode, ainda, ser usado como trepadeira para enfeitar muros e cercas, pois os seus ramos são maleáveis e aceitam muito bem a condução.
As suas flores possuem néctar, atraindo borboletas, abelhas e outros insetos polinizadores.

Cultivo: Deve ser cultivada em pleno sol. Aprecia solo fértil, rico em matéria orgânica e bem drenado. A rega deve ser regular. Depois de estabelecida, a planta torna-se resistente a curtos períodos de estiagem. Durante o inverno sofre com o frio intenso e as geadas, devendo ser protegida com palhas ou outro tipo de mulching, pois, na maioria das vezes, a planta consegue rebrotar da base na primavera seguinte. Multiplica-se facilmente por estacas preparadas após o florescimento.
 
23-05-2018
23-05-2018
Curiosidades: O género Streptosolen possui uma única espécie, a Streptosolen jamesonii; O nome do género deriva da palavra grega "streptos" que significa espiral e de "solon" que se refere a tubo, referindo-se ao formato tubular das inflorescências; O nome da espécie é uma homenagem ao Dr. William Jameson que enviou exemplares desta planta para Inglaterra para estudo; O nome comum desta planta em inglês é marmalade bush (arbusto marmelada) devido à cor alaranjada das suas flores; A Royal Horticultural Society concedeu-lhe o Award of Merit Garden, o Prémio de Mérito de Jardim.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Espinafre morango

30-06-2018

Nome científico: Chenopodium capitatum
Sinonímia: Blitum capitatum L.
Família: Amaranthaceae
Origem: América do Norte

10-10-2017
O espinafre-morango é uma planta herbácea com um ciclo anual que pode crescer até 50 cm de altura. Inicialmente as suas folhas simples, alternadas e com margens dentadas formam uma espécie de roseta basal, da qual despontam mais tarde hastes eretas ou decumbentes e ramificadas onde se desenvolvem os frutos. Os seus frutos são aquénios ovoides com pericarpo carnudo, vermelho brilhante e comestível que fazem lembrar morangos.

Propriedades e utilizações: Os nativos do Alasca usavam esta planta na sua alimentação, como uma fonte valiosa de vitaminas A e C.
23-11-2017
11-11-2017
23-11-2017
As suas folhas podem ser cozidas como o espinafre ou comidas cruas em saladas.
Os seus frutos são comestíveis, mas usam-se mais na decoração de saladas ou sobremesas, pois são pouco doces e até mesmo insípidos.
Devemos ter em atenção que tanto as folhas cruas como os frutos crus devem ser consumidos com moderação, porque contêm oxalatos (ácido oxálico).
As suas raízes podem ser desenterradas após a frutificação e depois de lavadas podem ser fatiadas em saladas ou alternativamente cozinhadas em sopas.
As suas sementes cozidas podem ser moídas e misturadas com farinhas de cereais na fabricação de pão. Estas devem ser embebidas em água durante a noite e completamente lavadas antes de serem usadas, isto para remover quaisquer saponinas existentes.
Outros povos nativos americanos usavam os frutos para obter um corante vermelho que utilizavam para a pele e roupas. Um corante de coloração ouro-esverdeado pode ser obtidos de toda a planta.

30-06-2018
30-06-2018
Cultivo: A planta é encontrada em vales de montanhas húmidas. Deve ser plantada em sol pleno. Adapta-se a qualquer solo desde que retenha água, tenha boa drenagem e contenha boa matéria orgânica. Deve ser regada regularmente, deixando o solo secar entre cada rega. Multiplica-se através de sementes que podem ser semeadas no início da primavera ou do outono em local definitivo, pois a planta devido à sua raiz comprida não tolera muito bem o transplante.

Curiosidades: O nome do género Chenopodium deriva da forma particular das folhas semelhantes às patas de ganso ("Chen" = ganso e "Pous" = pé ou "Podion" = curta caminhada); O nome da espécie capitatum significa "com uma cabeça"; Esta planta é da mesma família da nossa planta espontânea Chenopodium album, conhecida popularmente por catassol.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Monarda fistulosa

09-06-2017

Nome científico:
Monarda fistulosa
Família: Lamiaceae
Origem: América do Norte

23-04-2017
08-06-2017
A Monarda fistulosa é uma planta herbácea com um ciclo de vida perene. Possui caules eretos e pode atingir entre 70 centímetros a 1 metro de altura. As suas folhas verdes são aromáticas. As suas flores apresentam uma coloração lilás e crescem solitárias nas extremidades dos ramos.

Propriedades e utilizações: São-lhe atribuídas algumas propriedades medicinais, tais como: carminativa, diurética, pectoral e estimulante. Tradicionalmente, era usada pelas tribos nativas da América do Norte para tratar problemas digestivos e respiratórios (gripes e constipações). Hoje em dia, as suas folhas (frescas ou secas) produzem chás muito aromáticos.
06-06-2017
05-07-2018
08-06-2017
As suas folhas podem, ainda, ser utilizadas como aromatizante em saladas e alimentos cozinhados.
As suas flores são comestíveis e também podem ser usadas em saladas ou para decorar pratos.  
13-06-2017
Na horta, quando esmagadas, as suas folhas podem fazer um repelente de insetos e a própria planta junto dos tomateiros pode ajudar a manter as pragas subterrâneas afastadas.
É uma planta extremamente ornamental, podendo ser usada nos jardins, em bordaduras ou canteiros.
As suas flores são muito atrativa para abelhas, borboletas e outros insetos benéficos, devido ao seu néctar.
Depois de secas, as suas flores também podem ser usadas em arranjos de flores secas e em pot-pourri.

Cultivo: Deve ser plantada ao sol, mas tolera a meia sombra. Neste último caso, devemos ter em atenção que se não receber luz solar suficiente pode não florescer tanto. Aprecia solos férteis e com alguma humidade. Depois da floração podemos cortar as hastes florais. Tolera as geadas e depois de estabelecida resiste a períodos de seca moderada. A Monarda fistulosa é mais tolerante à seca e mais resistente ao oídio do que a Monarda didyma. Multiplica-se através da divisão da planta ou por sementes.

08-07-2018
08-07-2018
Curiosidades: O nome do género Monarda é uma homenagem ao médico e botânico espanhol do século XVI, Nicolas Bautista Monardes que apesar de nunca ter ido à América escreveu e estudou as plantas medicinais que os espanhóis traziam de lá; O nome da espécie fistulosa refere-se à estrutura em forma de tubo das flores desta planta; É conhecida popularmente como “bee balm” (bálsamo-de-abelha), uma vez que a sua flor é bastante atrativa para as abelhas; A Monarda fistulosa é semelhante à Monarda didyma, sendo que a flor da primeira não é tão colorida e brilhante; Muitos cultivares são híbridos de Monarda didyma e Monarda fistulosa.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Inhame chinês


21-08-2017
Nome científico: Dioscorea polystachya
Sinonímia: Dioscorea batatas, Dioscorea opositifolia, Dioscorea opposita
Família: Dioscoreaceae
Origem: China

O inhame chinês é uma planta trepadeira com um ciclo de vida perene. As suas folhas são verdes, alternadas (podendo ser opostas nas pontas) e longo-pecioladas. As folhas inferiores são geralmente ovais em forma de coração e as superiores apresentam uma forma de seta com 3 lobos (trilobadas), ambas com veias proeminentes. A planta raramente floresce, mas as suas flores são minúsculas e com aroma de canela. Produz tubérculos subterrâneos e, na axila das folhas, crescem tubérculos aéreos (bolbilhos).
04-06-2016
09-06-2016

Propriedades e utilizações: O inhame chinês é uma planta usada na alimentação, na medicina tradicional chinesa e como ornamental.
Quando cozinhados, tanto os tubérculos subterrâneos como os aéreos são comestíveis, embora os bolbilhos geralmente não sejam apanhados e usados ​​como alimento. Até ao momento nós ainda não experimentámos nenhum dos dois. De acordo com Plants for a Future os tubérculos subterrâneos são saboroso e nutritivo, sendo o sabor semelhante ao de uma batata normal.
03-06-2017
Apesar de por cá não florir, esta planta continua a ser plantada pelo seu valor ornamental. É considerada uma atraente trepadeira com flores que cheiram a canela.
Os bolbilhos servem de alimento para pequenos roedores.
22-10-2016
27-05-2017

Cultivo: Deve ser plantada à sombra parcial, apesar de tolerar o sol direto. É uma planta que se adapta à maioria das condições de solo, preferindo os que possuem boa drenagem e alguma matéria orgânica. Requer regas frequentes de forma a ter sempre humidade no solo. Devemos ter em atenção que em condições favoráveis a planta pode crescer demasiado e ser difícil o seu controlo.  A planta perde a parte aérea e rebrota na primavera. Multiplica-se facilmente através dos bolbilhos aéreos ou de pedaços do tubérculo subterrâneo.

04-07-2017
28-08-2017
Curiosidades: O nome do género Dioscorea é uma homenagem a Pedanius Dioscorides, um estudioso grego, considerado o fundador da farmacognosia através da sua obra “De materia medica”, que foi a principal fonte de informação sobre ervas medicinais desde o século I até ao século XVIII (foi o padrão por quase 2000 anos); Os bolbilhos aéreos geralmente têm o tamanho de ervilhas, mas, por vezes, podem alcançar o tamanho de uma bola de golfe; Há literatura que considera Dioscorea opositifolia e Dioscorea opposita como sinónimos de Dioscorea polystachya. Depois há vários trabalhos botânicos que referem que só os nomes científicos Dioscorea opposita e Dioscorea opositifolia se referem à mesma planta (sendo considerados hoje em dia sinónimos) e que foram consistentemente mal aplicados ao inhame chinês, Dioscorea polystachya, justificando que as plantas não devem ser confundidas, pois a Dioscorea oppositifolia ocorre apenas na Índia.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...