segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Fenómeno de Segunda: Texugo atropelado

18-08-2013
       Este belo texugo
       Teve este triste fim
       Foi deixado como refugo
       À beira da estrada, assim!

       É noturno e discreto
       Este simpático animal
       Mas quando há estradas por perto
       Algo pode correr mal.

       Provavelmente atravessou a estrada
       Sem se aperceber do perigo
       Atravessou na hora errada
       E um carro foi seu inimigo.

Reino: Animalia
Filo: Chordata
18-08-2013
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Mustelidae
Subfamília:  Melinae
Nome científico: Meles meles
Nomes comuns: Texugo, texugo-europeu, texugo-cão, texugo-porco

O texugo é um animal corpulento de tamanho médio que apresenta uma pelagem bastante característica. Apresenta duas listas negras, que atravessam longitudinalmente a sua cabeça branca, desde as orelhas, até à ponta do focinho pontiagudo. O seu corpo é um pouco alongado, a sua cabeça pequena com orelhas pouco evidentes e um focinho pontiagudo. Possui, nas suas patas anteriores, visíveis e fortes garras que utiliza na escavação das tocas. 
É uma espécie comum em Portugal que apesar de facilmente reconhecível raramente o vemos por ter hábitos noturnos e discretos, iniciando a sua atividade apenas após o pôr-do-sol. Vive em grupos sociais que são constituídos por um número variável de machos, fêmeas e crias, podendo ter entre 3 a 30 indivíduos.
18-08-2013
18-08-2013
Apesar de pertencer à ordem dos carnívoros é omnívoro, alimentando-se de tudo um pouco, embora varie a sua dieta em função da área geográfica e da estação. Como tal, a sua dieta é muito variada, podendo incluir frutos, raízes, bolbos, minhocas, répteis, insetos, anfíbios e pequenos mamíferos.

Curiosidades: Os texugos vivem em tocas que são compostas por sistemas de túneis e câmaras que podem ser simples ou complexos, com várias entradas e que partilham com os elementos do seu grupo social; No inverno, quando o frio aperta, podem passar dias seguidos sem sair das tocas, subsistem porque utilizam as reservas de gordura acumuladas no corpo durante as estações anteriores; Consta que os texugos enterram os “seus” mortos em buracos que escavam nas suas tocas; A população de texugos em Portugal encontra-se estável, embora a deterioração dos seus habitats, o uso de pesticidas nos solos e os atropelamentos em estradas e linhas de comboio contribuam para um maior número de mortes e ferimentos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...