quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Tágueda

26-09-2013
Nome científico: Dittrichia viscosa
Sinonímia: Inula viscosa, Cupularia viscosa
Nomes comuns: Tágueda, tádega, tágueda-prostrada, táveda-de-folhas-estreitas, táveda-folha-de-charuto, énula-peganhosa, erva-difícil-cheirosa
Família: Asteraceae (Compositae)
Origem: Região do Mediterrâneo


A tágueda é um subarbusto perene, ereto, muito ramificado, lenhoso na base e aromático. As suas folhas são oblongo-lanceoladas e podem ter as margens dentadas. Tanto as suas folhas como os seus ramos são cobertos de pelos glandulares que libertam uma substância pegajosa/viscosa e um odor característico. O auge da sua floração ocorre em setembro-outubro e caracteriza-se pelas inúmeras flores pequenas e amarelas dispostas em cachos. Este aparente atraso na época de floração (já que é das poucas plantas floridas nesta altura do ano) garante-lhe a polinização,  pois com flores vistosas e sem concorrência atrai todos os insetos para si. Assim, os seus frutos, designados de cípselas cilíndricas, dão-lhe sementes em abundância as quais possuem um sistema de dispersão eficaz, conseguindo flutuar e percorrer grandes distâncias com a ajuda do vento.
22-09-2013
22-09-2013

A tágueda é uma planta espontânea e bastante abundante em Portugal, sendo comum observá-la em terrenos pobres e degradados, lugares secos e áridos e margens dos caminhos. Encontra-se, preferencialmente, em locais bastante soalheiros, uma vez que  tolera pouco a sombra.

É uma planta robusta, pois suporta grandes variações de temperatura e é muito resistente a condições adversas, sendo capaz, por exemplo, de sobreviver a longos períodos de seca.

26-09-2013
26-09-2013
Propriedades e utilizações:
Tradicionalmente, o óleo essencial obtido através do esmagamento dos seus caules e folhas era utilizado externamente como antirreumático, analgésico e cicatrizante. Contudo, há indicações que o contacto com a nossa pele pode causar alergias.

Na horta, as táguedas podem ser usadas como sebes ou para delimitar bordaduras. Isto porque o facto da planta possui uma floração exuberante e “fora de época” leva a uma produção abundantemente néctar e pólen que atrai inúmeros insetos auxiliares (quer sejam polinizadores ou predadores); É, ainda, uma planta hospedeira de percevejos (como o Nesidiocoris tenuis) inimigos naturais de algumas pragas, como a mosca branca e lagarta/traça-do-tomateiro (a Tuta absoluta);
Aparentemente, as suas raízes libertam substâncias que inibem a germinação de outras plantas, pelo que devemos ter este fator em conta se a utilizarmos perto da horta;
22-09-2013
22-09-2013

Há alguns estudos em Espanha que referem que esta planta é capaz de absorver metais pesados ​​do solo, tais como chumbo e mercúrio, assimilando-os posteriormente através das suas partes aéreas;
Podemos obter um corante amarelo a partir das suas raízes;
Apesar da sua toxicidade, em algumas regiões espanholas é chamada de “erva-mosquera”, pois é utilizada como inseticida contra moscas e outros insetos. Ao que parece é pendurada no teto, procedendo-se à sua queima lenta para que o fumo afaste/intoxique os insetos não desejados. Outra técnica é simplesmente colocar os arbustos pendurados dentro de casa para que as moscas e os mosquitos fiquem presos na viscosidade que reveste a planta;
Apesar de ser uma planta tóxica para o gado (da qual nem sequer se alimentam), parace que podemos usar os seus ramos nas camas do gado e de outros animais de capoeira para afastar insetos, como as pulgas.

Curiosidades: O nome do género, Dittrichia, é uma referência ao botânico alemão Manfred Dittrich e viscosa refere-se à substância viscosa e pegajosa segregada pelos seus pelos glandulares; Devido à sua resistência e à elevada produção de sementes viáveis, é das primeiras plantas a renascer depois dos fogos e é considerada invasiva em alguns países como, por exemplo, na Austrália.
26-09-2013
26-09-2013
02-10-2013

4 comentários:

  1. Que lindas, não conhecia, e em arbustos são maravilhosas.
    bjs
    Excelente final de semana
    Ritinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Ritinha,
      Aqui por Portugal há muitas... destacam-se porque são das poucas a florir no final do verão quando está quase tudo seco!

      Um abraço e bom fim de semana

      Eliminar
  2. que planta guerreira , que vive em terrenos secos e á sol direto
    gostaria dela aqui , odeio mosquitos.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Simone,
      Provavelmente por aí tornava-se uma planta invasiva...

      Um abraço

      Eliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...