terça-feira, 19 de agosto de 2014

Cimbalária dos muros


05-06-2014
Nome científico: Cymbalaria muralis
Sinonímia: Linaria cymbalaria, Antirrhinum cymbalaria
Nomes comuns: Cimbalária-dos-muros, Cimbalária, Ruínas, Violetas-de-sala
Família: Plantaginaceae
Origem: sul e sudoeste da Europa

31-05-2014
A cimbalária é uma planta herbácea, glabra, prostrada (podendo atingir os 60 cm), delgada e frágil. Apresenta um ciclo de vida perene, mas possui uma curta longevidade pois vive, em média, uns 2-3 anos. Exibe uma folhagem densa e as suas folhas encontram-se quase todas dispostas de forma alterna e são suportadas por longos pecíolos. As suas flores são axilares, solitárias e pequenas (geralmente 10-12 mm as de maior dimensão), apresentam uma coloração esbranquiçada-violácea ou violácea. A sua floração ocorre, normalmente, de março a outubro. O seu fruto é uma cápsula globosa, maior do que o cálice. As sementes são pretas, ornamentadas com cordões longitudinais bastante salientes e com algumas granulações.

23-05-2014
05-06-2014
Esta espécie foi introduzida em Portugal encontrando-se amplamente naturalizada em várias zonas do país.
Pode ser encontrada sobre paredes, muros, ruínas, rochedos ou afloramentos rochosos em zonas urbanas e matas, mas sempre perto das populações humanas. Prefere locais geralmente húmidos e um pouco sombrios.

Utilizações e propriedades: Para além da utilização ornamental, há autores que lhe atribuem uma utilização medicinal, sendo considerada antiescorbútica e podendo ser usada externamente como cataplasma em feridas recentes para parar o sangramento.
05-03-2013
Podemos, ainda, obter um corante amarelo claro a partir das suas flores, embora não seja muito duradouro.
05-06-2014
Prefere solos calcários, por isso pode ser uma planta indicadora de alcalinidade.

Curiosidades: Aparentemente, a cimbalária-dos-muros é nativa do sul dos Alpes, oeste da antiga Jugoslávia e do centro e sul de Itália, estando naturalizada em quase toda a Europa e também nos Estados Unidos e na Austrália; Nestes últimos países é considerada uma planta invasora; Segundo a classificação clássica pertence à família Scrophulariaceae e de acordo com classificação filogenética pertence à família Plantaginaceae; Esta planta tem um método característico de propagação: inicialmente as hastes florais movem-se em direção à luz (fototropismo positivo), depois da fertilização afastam-se da luz (fototropismo negativo), escondendo-se no escuro das fendas de paredes para aí germinarem as suas sementes. 

6 comentários:

  1. Conheci aqui , ainda não tinha visto , não
    havia visto nada parecido.
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é... o mundo das plantas é enorme! :)
      Um abraço

      Eliminar
  2. Es hermosa hasta la hoja, rara belleza, belleza al fin. Que lindo pasar por tu blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresita,
      Agradecemos las palabras amables y será siempre bienvenida!
      Un abrazo

      Eliminar
  3. Muito delicada. Gostei muito de conhecer esta belezura. Um abraço.

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...