quarta-feira, 3 de julho de 2013

Plantar sob pinheiros

02-07-2013
02-07-2013
Há uma “teoria popular” que afirma que não se deve plantar nada debaixo nem mesmo perto dos pinheiros, pois estes inibem o crescimento de todas as plantas à sua volta…

Nós temos uma área só com pinheiros mansos e depois temos vários pinheiros, tanto mansos como bravos, nascidos espontaneamente e espalhados pelo terreno. Neste último caso, preocupa-nos a tal “teoria”, pois já são várias as pessoas que nos dizem que devemos cortar/arrancar os pinheiros!
Como “TODA A VERDADE PROVÉM DA OBSERVAÇÃO DA NATUREZA” (Provérbio Nómada), ao observarmos um pinhal podemos concluir que a variedade de espécies aí existentes é reduzida, mas há plantas a viver perto dos pinheiros. Também, junto de fruteiras, especialmente na zona do Oeste, existem pinheiros a formarem sebes contra o vento.

Então o que inibe o crescimento das plantas perto dos pinheiros? A resposta estará no microclima criado debaixo dos pinheiros à medida que estes crescem. Isto devido:
- À sombra extrema e à falta de humidade, já que os seus ramos criam uma espécie de escudo, não deixando passar os raios de sol e a água da chuva; 
- Às suas agulhas que criam uma camada espessa de mulching e tendem a tornar o solo ácido, apesar das propriedades do pH do solo se alterarem lentamente (após a queda de muitas agulhas e por muitos anos); 
- Ao seu sistema radicular que apresenta uma raiz principal e outras raízes secundárias mais superficiais, originando uma “luta entre raízes” onde todas competem por água e nutrientes.
03-01-2013
02-07-2013
Soluções:
- Podar alguns ramos do pinheiro para que seja permitida a passagem de sol e chuva;
- Selecionar variedades de plantas que crescem com pouca água, que gostem de sombra (as suculentas crescem sem água, mas a sua floração é menor à sombra) e que apreciem solos ácidos, como por exemplo: fetos, urzes, rosmaninhos, murtas, azáleas, rododendros  mirtilos, hortênsias, camélias, vinca, heras morangos silvestres, lírios-do-vale, gerânios, milefólio, roseiras…entre outras.
- Utilizar as agulhas do pinheiro como  mulching e misturá-las por exemplo com adubo, estrumes, aparas, cinzas de madeira,  para que estes materiais orgânicos sejam decompostos e ofereçam alimento a todas as plantas.

4 comentários:

  1. arvore sempre é bom ,se é uma planta deste tipo de lugar.


    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, os pinheiros fazem parte das espécies florestais indígenas de Portugal e têm inúmeras vantagens.
      Só que quando crescem não há muitas plantas que gostem deles! Mas nós gostamos quer seja pela sua sombra quer seja para construir uma casa na árvore :)

      Eliminar
    2. o Pinus é uma espécie exótica de vasta aplicação e uso comercial, mas que por sua fácil disseminação representa uma ameaça ao ecossistema nativo. O início de uma grande plantação em uma propriedade vizinha pode desencadear uma reação que em pouco tempo transforma áreas de campo, encostas pedregosas e leitos de rios em capões de pinus.

      Eliminar
    3. Há várias árvores do género Pinus e como todas as espécies têm vantagens e desvantagens dependendo, por exemplo, do meio em que se encontram.
      Aqui no blog referimos especialmente o Pinus pinaster e o Pinus pinea que são espécies do ecossistema nativo de Portugal Continental. Desta forma, não consideramos o pinheiro exótico... para nós, exótico será o eucalipto (Eucalyptus globulus)!
      Um abraço

      Eliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...