terça-feira, 26 de março de 2013

Lixo fora do lixo


25-03-2013
25-03-2013
Como é possível, em 2013 ainda haver pessoas capazes de despejar o seu lixo num terreno em plena Natureza? Pior do que isso, só o facto desse seu lixo estar repleto de medicamentos!

Ontem perto do terreno onde se encontra o Faroleco estava um monte de lixo… não era muito grande e estava à vista de todos os que por ali passavam…
Lá perto há uma zona, mais escondida, onde as pessoas costumam deixar o chamado entulho (restos de obras, especialmente). Apesar do dono não querer, esta prática já se tornou “um pouco normal”, contudo não deixam lá lixo doméstico... esse vai para o caixote do lixo mais próximo, pois, supostamente, ninguém faz uma deslocação de carro para ir deixar esse lixo num terreno qualquer... por isso, não percebo!

25-03-2013
Não percebo qual a necessidade de ir deixar o lixo no terreno dos outros, no meio da Natureza e prejudicar todos!
Não percebo como é que depois de tantas campanhas/chamadas de atenção há pessoas capazes de ir despejar o seu lixo cheio de medicamentos em plena Natureza!

Após tanta indignação, naquele momento só me ocorreu pôr umas luvas e começar a limpar, não por uma questão de estética, mas de saúde pública.
Já que estava a mexer na “lixeira” dos outros separei grosseiramente o lixo (um saco grande para o lixo doméstico, papel para o ecoponto azul, roupa e sapatos para os contentores de recolha, pilhas para o pilhão e, o mais incrível, um saco cheio de medicamentos de todo o tipo para entregar na farmácia).
Descubro também de quem é o lixo, mas não deve ser o culpado… deve tratar-se de alguém que morreu e numa limpeza rápida (?) nem se lembram de que existem caixotes do lixo?! Ou estão com medo que as outras pessoas falem e (sem ninguém saber) vão deixar por aí o que não querem?!
25-03-2013
É complicado perceber esta atitude… será que devia ter feito queixa às autoridades em vez de limpar o lixo que os outros deixaram?!
Naquele momento, só me ocorreu que a chuva iria acelerar o contacto dos medicamentos com o solo e que muitos são perigosos para o Meio Ambiente, nomeadamente, no que diz respeito à contaminação das águas. 
É pena não ter encontrado um fio de ouro… mas senti que a minha ação valeu ouro, será?

Em Portugal, a  Valormed  é a entidade responsável pela recolha, reciclagem ou incineração dos medicamentos fora de uso (que já não são necessários ou que estão fora de prazo) e das respetivas embalagens. Para isso, basta que sejam entregues na farmácia!  É tão simples! 

"Não se trata da cura ambiental destes resíduos, mas do melhor remédio possível."



2 comentários:

  1. Os meus parabéns! Já fiz o mesmo ou parecido e apesar de sentir que se calhar não vale a pena, ou que estou a ser "criado" dos outros, penso sempre que essa acção há de ser reconhecida. Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva,

      É sempre complicado limpar as asneiras dos outros! Mas concordo consigo: a acção há de ser reconhecida nem que seja pelo facto de ficarmos bem com nós próprios!
      Um abraço

      Eliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...