terça-feira, 7 de junho de 2016

Açucena dos riachos

 
19-06-2015
Nome científico: Crinum moorei
Sinonímia: Amaryllis moorei (Hook.f.) Stapf, Crinum colensoi Baker
Nomes comuns: Açucena-dos-riachos, Crino, Açucena-gigante, Bordões-de-São-José
Família: Amaryllidaceae
Origem: África do Sul
17-01-2016

A açucena-dos-riachos é uma planta herbácea bolbosa que apresenta um ciclo de vida perene (ou vivaz no caso de invernos rigorosos). Os seus bolbos são grandes. As suas folhas verdes e brilhantes são lanceoladas, algo carnudas e longas, podendo alcançar 1 metro de comprimento e 20 cm de largura. Possui flores grandes e perfumadas que surgem no final de longos talos e podem ser brancas ou rosadas.

Utilizações: No jardim, tanto a sua enorme flor branca como a sua folhagem verde-brilhante é muito decorativa. 
Esta planta, cria maciços interessantes e também pode ser plantada em vasos quer no exterior como no interior desde que tenha luz suficiente (mas não luz solar direta). Pode ser usada como flor de corte. 
As suas flores perfumadas atraem borboletas e outros insetos.
31-05-2016
04-06-2016

Cultivo: No seu habitat natural podemos encontrar esta planta a formar grandes maciços em zonas sombreadas (mas com claridade) e húmidas. 
23-06-2015
Adapta-se a locais de meia-sombra e devemos ter em atenção que a exposição solar direta pode empalidecer as suas folhas. Prefere solos neutros a ligeiramente ácidos, ricos em húmus, soltos e bem drenados. Aprecia regas no verão e tolera alguma seca (se for por um longo período a sua floração será afetada). É uma planta resistente a pragas e doenças, mas devemos estar atentos aos ataques de caracóis e lesmas. Multiplica-se facilmente através da divisão dos bolbos ou por sementes (que devem ser semeadas logo após a colheita devido ao seu curto período de viabilidade).

06-06-2016
06-06-2016
Curiosidades: O nome do género Crinum deriva do termo grego Krinon que se refere a lírio; O nome da espécie é uma homenagem a Dr. Moore, diretor do Jardim Botânico Glasnevin em Dublin, que recebeu a semente desta planta de um soldado britânico na década de 1860; Esta planta foi-nos apresentada por uma amiga que a chamou de “açucena-dos-riachos”; Existe uma enorme quantidade de híbridos; As suas flores são muitas vezes confundidas com flores de plantas do género Hemerocallis e Lilium; O perfume das suas flores torna-se mais intenso à noite; Alguns autores apontam propriedades medicinais aos seus bolbos; No género Crinum, as sementes podem flutuar e permanecer viáveis na água do mar cerca de dois anos.

2 comentários:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...