sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Residentes: Porquinhos da Índia

26-02-2016
26-02-2016

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Rodentia
Subordem: hystricomorpha
Infraordem: Caviomorpha
Superfamília: Cavioidea
Família: Caviidae
Nome científico: Cavia porcellus
Nome comum: Porquinho-da-Índia

O porquinho-da-Índia é um pequeno mamífero roedor natural da América do Sul. Tem o corpo cilíndrico e compacto. O seu pelo é espesso e possui pequenas orelhas em forma de pétala que são lateralmente posicionadas na cabeça. Em traços gerais, os machos adultos medem cerca de 25 cm e pesam em média 1 kg e as fêmeas adultas são um pouco menores medindo cerca de 20 cm e pesando em média 800 gr. São animais muito sociais que na natureza vivem em grupos. Dentro dos grupos, os porquinhos-da-Índia apresentam um largo repositório de sons e gestos (linguagem corporal), de forma a comunicar entre si. Adicionalmente às formas de comunicação observadas na natureza selvagem e herdadas, os porquinhos domesticados também podem aprender a interagir com os seus donos.
26-02-2016
13-01-2016
As suas instalações devem ser espaçosas e devemos ter em conta que os porquinhos-da-índia são muito sensíveis ao calor e a mudanças de temperatura. Pelo que, no caso de estarem ao ar livre, têm de estar protegidos do sol no verão e no inverno devem ter um abrigo para que se possam proteger do vento e da chuva.
Os porquinhos-da-Índia são herbívoros e, como tal, a sua alimentação deve ser unicamente baseada em vegetais. Assim, devem ter diariamente à disposição feno (o ideal é o de mistura de ervas), frutas (morangos, maçã, pera, kiwi, citrinos...) e legumes frescos (rama de cenoura, couves variadas, salsa, brócolos, pimento vermelho, espinafres, rúcula, agrião...) que são uma fonte de vitamina C (e os porquinhos têm carência desta vitamina). A luzerna (Medicago sativa) deverá ser dada regularmente a fêmeas grávidas e porquinhos em crescimento, devido ao seu elevado valor de cálcio. Aos adultos deve ser dada como guloseima, esporadicamente. Se optarmos por um granulado comercial, este deve ser específico para porquinhos-da-Índia. Água limpa e fresca deve estar sempre à disposição e deve ser renovada diariamente. Como acontece com outros roedores, os dentes crescem continuamente e o seu comprimento é mantido através da alimentação. Para ajudar mais no desgaste dos seus dentes podemos oferecer aos porquinhos pequenos galhos de árvores de fruta ou pedaços de pão seco.
26-02-2016
26-02-2016
A idade aconselhável para reprodução, nas fêmeas, situa-se entre os 5 e os 8 meses.
O período de gestação é de 59 a 72 dias, sendo a média de 62 dias. Ao contrário do que ocorre com outros roedores, os filhotes dos porquinhos-da-Índia já nascem totalmente formados (com os olhos abertos, dentes, pelos) e em poucas horas começam a alimentarem-se sozinhos. Em menos de um mês já se tornam independentes da mãe, sendo nessa fase muito ativos e curiosos.
As gravidezes consecutivas devem ser evitadas dado o esforço que representam para uma fêmea. As porquinhas devem ter um período de descanso após terem uma ninhada, sendo recomendado no mínimo 6 meses até ao próximo nascimento. Desta forma, os machos devem ser separados da mãe e das outras fêmeas aos 21 dias para evitar acasalamentos precoces e da mesma forma, se as fêmeas estiverem com o macho durante a gravidez, devem ser separados antes do parto, pois após este entram em cio e o risco de ficarem grávidas é muito grande.
26-02-2016
26-02-2016
A presença de mamilos não determina o sexo dos porquinhos-da-Índia, pois tanto machos quanto fêmeas possuem dois mamilos. A diferença está no facto de, nas fêmeas, o órgão genital ter o formato de um 'Y' e se se pressionar a parte superior não acontece nada e nos machos o órgão genital tem o formato de um 'i', em que a parte superior é maior do que nas fêmeas e se se pressionar o órgão sexual aparece.
São animais vivazes e dóceis, no entanto são muito sensíveis a sons. Isto porque os seus ouvidos foram projetados para detetar sons subtis de predadores que se aproximam. Na Natureza, estes roedores têm dois mecanismos de defesa primários: imobilidade e dispersão. Quando se sentem ameaçado permanecem imóvel até que a ameaça passe. Quando estão em grupo usam o mecanismo da dispersão no sentido de desorientar o potencial predador.

26-02-2016
Curiosidades: Um porquinho-da-Índia vive em média 5 a 6 anos, podendo chegar aos 8 anos; É descendente de espécies selvagens, tais como Cavia aparea, Cavia fulgida e Cavia tschudii, que são atualmente encontradas em várias regiões da América do sul (Peru, Equador, Colômbia, Venezuela); Apesar do seu nome comum, o porquinho-da-Índia não é suíno nem indiano. O nome deve-se ao fato de originalmente provirem das chamadas "Índias Ocidentais" (atual continente americano); Os europeus tomaram contato com este animal no século XVI, quando os navegadores espanhóis atingiram os domínios do Império Inca. O animal era denominado pelos incas como "Cuy", por causa dos gritos curtos que emite. Eram criados para consumo, sendo parte da alimentação desse povo. Ao chegarem à Espanha, os porquinhos-da-índia tornaram-se moda, vindo a espalhar-se por toda a Europa como animais de estimação; Atualmente, em alguns países (como no Peru) são, ainda, um prato típico e apreciado na culinária local; Existem várias raças ou subespécies comummente reconhecidas de porquinhos-da-Índia e, em traços gerais, distinguem-se pelas características do pelo (cor, textura, grau do brilho…); Os machos de porquinhos-da-Índia podem ser criados juntos, desde que haja espaço, que tenham diferença de idade e não sejam excessivamente territoriais, desta forma o porquinho mais velho será naturalmente o "líder"; Têm um chamamento (Cuí>Cuí>Cuí) muito alto quando querem ser alimentados; Durante a corte podemos observar uma “dança” característica que inclui sons e linguagem corporal: o macho aproxima-se da fêmea fazendo "prrrrr" e "rebolando" (fica parado e depois levanta ora uma pata traseira, ora a outra). Esta “dança” é chamada de Rumba.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...