sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Malva de Três Meses


23-08-2015
Nome científico: Lavatera trimestris L.
Sinonímia: Malva trimestris, Stegia trimestris
Nomes comuns: Malva-de-três-meses, Lavatera-de-três-meses, Malva-rosa, Lavatera, Malva-real
Família: Malvaceae
Origem: Europa (Mediterrâneo)

26-08-2015
A malva-de-três-meses é uma planta herbácea que atinge de 50 cm a 80 cm de altura e possui um ciclo de vida anual. Apresenta um caule ereto e ramificado. As suas folhas são verdes com pelos finos e esparsos e margens serrilhadas. As inferiores são cordadas enquanto que as superiores são lobadas. As suas flores nascem de forma solitária na axila das folhas superiores e podem chegar aos 10 cm de diâmetro. Apresentam cinco pétalas em tons de rosa ou lilás, com um brilho acetinado e estrias mais escuras. O seu fruto encontra-se no meio-termo entre um esquizocarpo e uma cápsula.

26-08-2015
É uma planta autóctone em Portugal Continental, podendo ser encontrada em campos agrícolas cultivados ou incultos, pousios, prados, clareiras de matos ou bermas de caminhos. Frequentemente em locais algo perturbados, sobre substratos argilosos, arenosos ou calcários.

Cultivo: Bastante tolerante quanto ao solo desde que este seja bem drenado e com boa exposição solar. Em solos muito férteis esta planta produz muita folhagem e relativamente poucas flores. Multiplica-se por sementes, que devem ficar na superfície do solo ou cobertas com uma fina camada de terra, pois precisam de luz para germinarem. Normalmente a germinação ocorre em 10 a 15 dias.

26-08-2015
Utilizações: No jardim, a malva-de-três-meses é perfeita para a formação de maciços e bordaduras.
As suas flores são bastante atrativas para abelhas e borboletas.
Tal como a malva (já mencionada aqui), as suas folhas são igualmente comestíveis.

26-08-2015
26-08-2015
Curiosidades: O género Lavatera foi nomeado pelo botânico suíço JR Lavater; O nome da espécie trimestris tem origem no latim e significa literalmente "de três meses", referindo-se ao período de crescimento até ao início da floração; Esta espécie é nativa da bacia do mediterrâneo e da Península Ibérica, tendo-se naturalizado noutras regiões da Europa e também noutros continentes, nomeadamente na América do Norte; A partir desta espécie foram desenvolvidos numerosos cultivares, os quais privilegiam um menor tamanho da planta, tornando-a mais compacta e oferecendo uma maior gama de tonalidades entre o rosa, branco ou vermelho.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...