quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Lavanda do Mar

17-07-2014
Nome científico: Limonium sinuatum
Sinonímias: Statice sinuata, Limonium sinuata
Nomes comuns: Lavanda-do-mar, Statice, Limónio
Família: Plumbaginaceae
Origem: Região do Mediterrâneo

17-07-2014
A lavanda-do-mar é uma planta herbácea e perene, mas que é cultivada como anual. As suas folhas alongadas formam uma roseta basal. Da sua base surgem talos com 40 a 70 cm de altura. As suas flores apresentam-se dispostas em forma de espiga e caracterizam-se por serem pequenas, tubulares e com textura de papel. Estas são sempre brancas, visto que o que dá cor às diferentes variedades são as suas brácteas. Assim, a coloração mais comum é o azul, mas podemos encontrar numerosas cores tais como rosa, amarelo, roxo, branco, amarelo ou vermelho, umas mais intensas do que outras.
08-07-2014
17-07-2014
08-07-2014
Esta planta é bastante florífera e vistosa. Pode ser usada nos jardins, quer em vasos ou floreiras quer na formação de maciços ou bordaduras. A sua flor é muito apreciada como for de corte e em arranjos florais secos, pois as suas inflorescências mantêm-se em perfeitas condições durante muito tempo (ou seja, conserva as cores e as formas das flores em estado seco). 
Para secá-las, podemos pendurá-las de cabeça para baixo, para ficarem com a haste ereta.
17-07-2014
17-07-2014
17-07-2014

Cultivo: É uma planta autóctone em algumas regiões de Portugal Continental. Podendo ser encontrada em prados, taludes e bermas de caminhos.
Nos jardins cresce em quase todos os tipos de solo, desde que sejam permeáveis. Aprecia locais ensolarados e rega regular (é melhor regar pouco, mas várias vezes). Tolera a seca e o calor. É uma planta resistente a pragas e doenças. Multiplica-se por sementes que podem ser semeadas no início da primavera.
17-07-2014
17-07-2014
17-07-2014
Curiosidades: A palavra que designa o género, Limonium, deriva do grego Leimon que significa "prado molhado", referindo-se ao habitat de muitas espécies do género; O nome da espécie, sinuatum, tem origem no epíteto latino sinus que significa "enrolamento", referindo-se ao limbo das suas folhas; Esta planta foi geneticamente melhorada nas últimas décadas; A maioria das espécies do género Limonium é capaz de criar sementes sem terem sido fertilizadas.

3 comentários:

  1. Desconhecia que esta planta fosse autóctone. Também eu a tenho no meu jardim.
    Obrigado pela informação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Rafael,
      Para nós também foi uma surpresa descobrir que esta planta era autóctone em algumas regiões de Portugal Continental. Pensamos que se refere à planta original, pois as que temos nos nossos jardins já deviam ter sofrido algumas alterações/melhorias.
      Pode confirmar a informação no espetacular site Flora-on (e fica a publicidade :)) http://www.flora-on.pt/index.php?q=Limonium+sinuatum).

      Um abraço

      Eliminar
  2. Desconhecia a lavanda do mar até vê-la em oeças de uma artista plastica ( colares) Lundas....nao resisti...tenho agora uma no pescoco.
    Mas gostaria de cultiva- las no meu jardim.
    Onde posso comprar mudas ou sementes?
    Obrigada !

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...