terça-feira, 24 de julho de 2012

Calaminta

16-03-2012

Nome científico: Calamintha baetica
Sinonímia: Calamintha nepeta, Satureja calamintha
Nomes comuns: Calaminta, Erva-das-azeitonas, Nêveda
Família: Lamiaceae
Origem: Regiões temperadas da Europa e Ásia

A Calaminta é considerada uma menta silvestre. É uma planta perene e vivaz, pois durante o inverno, a parte aérea praticamente desaparece. É ramificada, herbácea, de folhas pequenas, ovadas e aromáticas. As suas flores, que surgem habitualmente no fim da primavera, são rosa ou púrpura.

02-06-2012
Cultivo: É uma planta espontânea que pode ser encontrada em terrenos pedregosos e ermos, sebes, taludes e orlas de sobreirais, em prados sombrios e lugares mais ou menos nitrificados.

Curiosidades: A Calaminta foi muito utilizada na Idade Média, mas hoje em dia é considerada uma menta humilde e envergonhada. Isto porque, o seu uso está um pouco esquecido, face ao protagonismo das outras “mentas”; O prefixo “cal” advém do grego e significa “boa”; É considerada uma planta digestiva, tónica, excitante, expetorante e sudorífera. Apesar de não serem mencionadas contraindicações, sabemos que nenhuma planta deve ser consumida em excesso e, no caso das mentas, as mulheres grávidas devem ter algum cuidado na sua utilização. A infusão das suas folhas (10g a 30g das flores e folhas secas num litro de água fervente) é empregada como estimulante do aparelho digestivo, para além de constituir um chá de requintado aroma e agradável sabor;
Utiliza-se tradicionalmente para temperar as azeitonas, sendo por isso mais conhecida por “erva-das-azeitonas”; O seu óleo essencial é matéria-prima de perfumes, cosméticos e desodorizantes;
Consta que existem cerca de vinte espécies de Calaminta, só no continente europeu, mas todas têm propriedades e usos idênticos. Existe quem afirme que poderemos considerá-las, a todas elas, como officinalis, termo latino que significa “plantas sem contraindicações, destinadas a servir a Humanidade”.
16-03-2012
13-05-2012
24-07-2012




2 comentários:

  1. Olá bom dia!!
    Descobri o blogue à procura de saber como identificar a tagueda, por sinal muito comum na minha zona e de que eu desconhecia as propriedades.
    Grata por partilhar o conhecimento, também eu sou uma fã das maravilhas da Natureza.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Sagitário,
      Agradecemos as simpáticas palavras e esperamos que nos visite mais vezes!

      Um abraço

      Eliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...